À Corajosa

Uma formiga leva com esforço o peso
Duas vezes superior ao seu

E, se esmagada, ainda tenta…
Ela é mais forte porque sabe que é capaz
Nada deve detê-la!

Um segundo esmagamento poderá até matá-la
Ela morrerá, corajosa, revivendo
A potência
Da covardia humana.

_
Diego Rbor
_
Fotografia: Ana Castello

 

Samambaia

Há pouco mais de um ano, caminhando pela avenida São João, quase ao cruzar com a Ipiranga, eu e meu namorado notamos, a poucos metros, uma samambaia pendurada numa árvore, na calçada. Um morador de rua que passava deu um tapa na planta quase fazendo-a cair no chão e foi embora.

Chegamos na frente da planta, olhamos ao redor, olhamos pra cima para saber se alguém havia deixado ela ali momentaneamente, mas aparentemente ela havia sido abandonada. Estava desnutrida, com poucas folhas e um verde bem apagado.

Resolvemos levá-la pra casa para cuidar dela. Ato herança da Ivone. Pensamos nela e em seu amor pelas plantas… Subimos no ônibus de volta pra casa com a planta no colo!

Chegamos em casa felizes com a possibilidade de cuidado; cortamos as folhas manchadas e regamos pouco a pouco. Descobrimos que as samambaias gostam da água do arroz, e toda vez que fazemos arroz em casa, alimentamos ela com a água escorrida do arroz lavado.

Com o passar do tempo nasceram folhas novas, ela começou a se encher de vida saudável, e nós ficamos irradiantes com o brilho de sua folhagem.

Ontem, dia 06/04/2020, percebi que a planta está pronta pra sair de casa. Eu e Nerinho levamos ela para o jardim do prédio onde moramos, e lá, rodeada por árvores e outras plantas, ela parece estar bem feliz com o novo destino… Acabei de levar a água do arroz pra alimentá-la e percebi que o céu promete chuva.

Esta quarentena me faz refletir sobre liberdade.

O porquinho da índia que está aqui, resgatado, futuramente ganhará um lar no sítio da família de uma amiga nossa. E se tivéssemos pássaros em casa, daríamos o gosto da liberdade para ele/a.

_

Estou triste com o que está ocorrendo com o mundo, mas algo me diz que é uma mudança boa pra gente que faz mudanças… E estas ações de libertar vidas é um alimento à nossa própria liberdade, que anda tão limitada nestes dias atuais.

Vi a planta abraçar a árvore que a sustentou e senti uma saudade gigante das minhas amigas e amigos, de minha família, e torço para que a Luz de Deus elimine do mundo todo o caos e assim a gente possa se enxergar melhor, com mais amor. Temos tempo de transformar e melhorar-nos!

É hora de libertarmos as vidas que nasceram pra liberdade e assim a Luz vai nos libertar aos poucos.

Nada é por acaso.

 

Diego Rbor.

Louco e leal

O pai e a mãe que não entendem a própria cria
perdem muito a toda hora
A cria que não busca compreender o pai e a mãe
perdeu tudo faz tempo

Todos e todas nós erramos, mas
querer permanecer em erros é despreparar os fins
e isto não gera bons recomeços

Poderíamos estar todes melhores, bem evoluídos,
no entanto as mentiras e calúnias nos afastam Continue lendo “Louco e leal”

A Água da Chuva

Bom dia… Boa tarde…

O sol aqui chegou estralando esta manhã…

(…)mêu, ontem fomos tocar num campeonato d futebol aqui da quebrada e foi emocionante! o som da batucada contagia d uma tal forma
a música e o esporte são libertadores!
depois fomos convidados pro after pós jogo, rs
do alto do morro em que eu estava
notei que todos são mais unidos
fui tão bem recepcionado por grandes, e um dos maiores fotógrafos do mundo reside por aqui e eu o conheci. o samba recepciona de braços abertos, e o som ecoa alto por aquela vista vislumbrante do céu
aquela vista marca. tudo marcou ontem
o som do carnabronks sacode chão alma e coração!!
_
_inclusive já troquei a minha ideia c/ Deus e pah… Continue lendo “A Água da Chuva”