Das Letras

Réveillon dois mil e vinte eu me permiti
Vim pra São Thomé das Letras e não quero mais sair
Fui bem recebido pela Paulina
Almoço de doze conto é uma obra prima
De sobremesa, a geleia de sua neta Marissa
Meu sinal de que estou na estrada certa… Continue lendo “Das Letras”

Somos Muitxs

Quando comecei a escrever, com doze anos de vida, eu não sabia que aqueles textos eram poesias marginais. Um dia, furiosa e sem valorizar arte na vida, minha mãe me puxou no médico afirmando que eu estava doente por não querer sair do quarto, escrevendo. O armário começou a fechar aí. Nas excursões escolares eu raramente podia ir, pois não tinha grana pra pagar, mas em parques de diversão meus amiguinhos faziam rateio e quando dava eu ia. Um dia, numa excursão que a escola fez à Pinacoteca de São Paulo, fiquei de fora. E sem internet eu ficava imaginando como seria a Pinacoteca. Mente pe ri fé ri ca é osso, mas depois que se abre, não volta a seu tamanho original.

Dois mil e dezenove está sendo um ano testador de resistências artísticas e culturais:  O país empobreceu, em quase todos os sentidos. Mas na arte a lama vale ouro! Continue lendo “Somos Muitxs”

O Circo do Terror

É muito difícil libertar um povo que vota para ser escravo. Um povo sem memória de sua própria história. Um povo que nem sabe o nome de seus bisavôs e bisavós; Como, quando e porquê partiram. Um povo laico que não compreende a própria cultura e até pensa que não tem cultura. Um povo 46% crente num Deus egocêntrico e charlatão que, ao invés de pacificar, toca o terror nas minorias. Continue lendo “O Circo do Terror”

laicolorido

“Nosso Brasil laico precisa saber: Saraus são mais honestos que muitas Igrejas! O Sarau é o culto divino confiável, acolhedor e libertário para o Ser que almeja evolução espiritual. Para malhar o corpo, exercícios físicos diários; para mantê-lo, alimentação de qualidade; para eternizá-lo, faça arte.”

 

Diego Rbor