Outra Copa

Nesta época do ano a mão que seca a lágrima congela o rosto:

Moradores de calçadas seguem pelas ruas tremendo e roendo as unhas
Eles tem faca e a fome é em dobro!
Criticados, humilhados e julgados por quem nunca os ajudou
Tem gente que até tapa o nariz para não sentir o odor do transeunte sem casa e sem preço no seu valor
Outra copa chegou e o Brasil piorou dois mil e dezoito vezes em quinhentos anos de atraso Continue lendo “Outra Copa”

Achado Perdido

Todos os dias a cidade perde alguém
Alguém se perde, entre concretos e matas
Alguém se perde porque se mata
Se joga lá de cima do arranha-céu
Ou sucumbe em baixo do banco de uma praça
Há quem se perca na desgraça
E até na graça de um sorriso 😉
Eu já me perdi, quem não?
Há perdidos em salas de aula e perdidos numa rebelião
Perdemos constantemente uns aos outros
Por hora, morte ou desgosto
Perde-se a cabeça que perde a razão, que perde a palavra que perde a ação, que perde a calma por perder o chão!
Nessa onda de perder a gente nada ganha
Nem emoção
Já perdi palavras, mas nunca pensamentos
Austero e intenso, em algum momento perdi de chaves do carro à fé
Mas nunca o bom senso
Perdi amores que se perderam em mim
Perdi a virgindade intelectual
Perdi a vergonha e o conceito para amigos que deram defeito
E sem fome, perdi a isca e o peixe
Porém jamais perco a sede.

D.

diego perdido

sem groselha picuinha A ARTE LIBERTA! ® 2015 Todos os direitos reservados ©

Semeando

“Os problemas existem para serem resolvidos
Nós somos a solução
Perguntas buscam por respostas
A felicidade deseja ficar até tarde
sobre o tempo na passarela que a vida invade
A morte está para quem crê nela!
Todo sofrimento vem pra provar que é passageiro
Nosso coração anda tão ligeiro
Pego essa lição e faço um Janeiro
Me sinto mais inteiro
e forte para viver meses intensos.”

 

diego rbor A ARTE LIBERTA! ® 2015 Todos os direitos reservados ©