A Água da Chuva

Bom dia… Boa tarde…

O sol aqui chegou estralando esta manhã…

(…)mêu, ontem fomos tocar num campeonato d futebol aqui da quebrada e foi emocionante! o som da batucada contagia d uma tal forma
a música e o esporte são libertadores!
depois fomos convidados pro after pós jogo, rs
do alto do morro em que eu estava
notei que todos são mais unidos
fui tão bem recepcionado por grandes, e um dos maiores fotógrafos do mundo reside por aqui e eu o conheci. o samba recepciona de braços abertos, e o som ecoa alto por aquela vista vislumbrante do céu
aquela vista marca. tudo marcou ontem
o som do carnabronks sacode chão alma e coração!!
_
_inclusive já troquei a minha ideia c/ Deus e pah… Continue lendo “A Água da Chuva”

Pior da morte

Caretas não atingem o primeiro patamar da felicidade
(Eu ouvi dizer que ela é para os merecedores!)
Não é tão simples atingir a constante plenitude, mas
Pode ser mais fácil do que muitos imaginam
Tá ligado, n tem nada a ver com ouro…
(Eu sei que ele vem pra quem luta)

Comece eliminando o desgosto confuso habitado em seu coração
Você vive fincado numa areia movediça sem perceber, cara
Aos poucos, todos os seus preconceitos findarão você no inferno
Não espere até o fervor iniciar queimá-lo dos pés à cabeça
O sol raia há anos no seu calendário e você não aproveitou bem
Ainda dá tempo se você aceitar o meu convite e ficar zen também  Continue lendo “Pior da morte”

Posse de arte

…e aquele amor veio com entusiasmo
por vontade própria
feito um pássaro;
cheio, pousou em meu dedo
e eu o admirei por muito tempo
aproveitei cada segundo
até o repente em que voou
partindo num adeus absoluto, obscuro, um absurdo!
(moh barra pra um corajoso)
me pediu um tempo
eu lhe joguei no vento!
sou homem, porra, não me peça tempo
O tempo dá por si!

em meu dedo não dropará outro pouso do mesmo ‘pássaro’;

ácer, sombreiro, bauinia de hong kong, chuva de ouro
jangada do campo, cornus florida, eritrina candelabro
tudo vida
tudo pro teu repouso…
pras horas que decidires gozar do amor de outro (ser vivo)
busque troncos, não corpos!
se bem que nem de madeira és merecedor; quem dirá desta carne, que ainda escreve…

eu vou ficar zen
já estou!
sou posse de arte, tá ligado, meu bem..
arte minha sombra!!
eu quase sinto muito, mas que bom:
você passou!!

prainha

sem groselha picuinha A ARTE LIBERTA! ® 2015 Todos os direitos reservados ©

 

Preto e Branco

                                                                                                          

Altas diferenças notam em nós
(cada um com a sua nota)
desde cor, peso, face, cabelo
semelhanças que viram pó
Será que se esquecem do vermelho que pulsa e lança carapuças que servem pra nós?!
Somos mais; somos irmãos de ‘alma (o sangue transparente)’
que percorre sói inigualável, indestrutível
Sem cor, o mesmo em peso e fase
Semelhanças de amor e paz
[Mole mar
Dura rocha]
e são como um;
Temos muito em comunhão; pensamos em comum;
Cuidamos do que é de nós
De fato
Sabemos que é de Deus, a Luz
E os teus planos são sempre os melhores
pra nós

you are my brother
we can touch our dreams
Do you know

Você na estrada dirigindo empresas
concomitantemente eu dirijo sonhos
Batemos as nossas metas
de outono a outono, você, sempre meu mano
Somando em todos os pontos
Seguindo com a calma da vida;
ligeiro na linha
eu tentando ir logo atrás
Embora mais bonito
você é mais sagaz!
Olhos enganam, coração jamais!

the eyes deceiving
heart never

pro meu imão!!
D.

praia almada  praia ALMADA/São Sebastião/2014 FOTO: Diego

sem groselha picuinha A ARTE LIBERTA! ® 2015 Todos os direitos reservados ©