Das Letras

Réveillon dois mil e vinte eu me permiti
Vim pra São Thomé das Letras e não quero mais sair
Fui bem recebido pela Paulina
Almoço de doze conto é uma obra prima
De sobremesa, a geleia de sua neta Marissa
Meu sinal de que estou na estrada certa… Continue lendo “Das Letras”

Sevirologia: A arte de se virar

José Soró é um dos arquitetos da nossa boa cultura periférica

Nascido nos anos 60
Brasileiro, cresceu nos braços do povo e pelo povo lutou
Por nós, povo
Pelo imenso valor de nossa simples cultura

Guerreou pelos direitos humanos e
Venceu usando o caráter e a coragem como armas principais
Um artista em prol da sabedoria de um povo Continue lendo “Sevirologia: A arte de se virar”

Mundo de Oz

Diziam parentes que você era um ser desajustado para esta sociedade conservadora.
Ao passar os fins de semana e várias das minhas férias ao teu lado, pude provar que é o contrário: a sociedade que está super desajustada pra viver seres puros como você.
A primeira vez que fui pra São Vicente, foi contigo e tia Ivone. Várias lembranças boas marcam a tua existência no mundo e em meu coração: quando você alugou um barco onde remamos as minhas primeiras léguas marinhas e tiramos muitas fotos, mas eu falhei na hora de colocar o rolo do filme e nenhuma imagem foi registrada; ou quando tatuava pessoas e eu admirava, vislumbrado com aquele talento todo, tendo você como uma referência visual. Lembro quando defendeu a tia de uns caiçaras machistas valentes; depois defendeu a família contra aqueles inquilinos perturbadores, ali eu conheci um super herói de verdade. Continue lendo “Mundo de Oz”