Treta Resistência

Começa com gritos, xingamentos e com toda força porrada na cara. Se você cair, sequência de chutes, cassetetes e incansáveis ofensas até se levantar. Quando de pé, mata leão, coronhadas e prejuízos; celular bisbilhotado depois pisado; RG roubado… Enquanto apanha, tenta entender o motivo real dessa corta de brisa realista.
Essa é a saudação da PM quando vê um preto ‘noiado’.

O abuso de poder dos vermes fardados é escancarado. Mas sem generalizar. Parece que são pagos para propagar o terror, querem botar medo nas pessoas, forçando ainda mais as barras que nunca foram leves.

Barras marcadas por revolta. Temos o gosto de pimenta na boca ardendo nos olhos ao olhar em volta.

Já apanhei dos rato-cinza algumas vezes, mas não aprendi… Vai ver é porque não é batendo que se ensina. A única coisa que o militar conseguiu matar dentro de mim foi a esperança de um dia voltar a crer nele.

Sem alarde neste lembrete-queixa. Enterrei a esperança e represento a resistência; Poeta, marginal, preto, pobre, pichador, bissexual e revoltado em constante correria.

Os fardado mimado, a rua não cria!