Respeite e Saúde

Poesia Solidária

Pensei em como poder ajudar quem precisa durante esta pandemia e tive a ideia e atitude de doar 50% das vendas do meu e-book Outra Realidade para a causa indígena da região onde resido. Falei por telefone com a ativista indígena feminista comunitária e LGBTQI+, minha amiga Tamikuã Txihi responsável por poderosos projetos com a natureza, com as artes e com sua comunidade tekoa Itakupé, localizada no Jaraguá, em São Paulo. Nossos povos originários não têm o apoio necessário da maioria da população, menos ainda dos ‘nossos’ governantes brasileiros!

Quer ajudar também? É simples: basta enviar um e-mail para aarteliberta.diego@gmail.com e solicitar o E-book Outra Realidade, ele vai custar apenas R$20,00 e a forma de pagamento pode ser via transação bancária.

E-book completo (276 pág.), revisado, colorido, e ainda ajuda uma grande causa em prol do nosso povo originário.

capa livro Outra Realidade diego rbor para promoção

Outra Realidade nas bibliotecas públicas

Escrevo desde os doze anos de vida. Quando comecei a escrever, eu nem sabia que aqueles textos eram poesias. Poesias de um coração marginal. Eu soube o que era poesia pouco tempos depois, na escola, quando xs professorxs de português me estimulavam a escrever.

Um índio gay oriundo numa tacanha e importante periferia da maior cidade do imenso Brasil: a periculosa Taipas, localizada no arranha-céu da noroeste megalópole. Tenho sorte de ter nascido aqui. Tenho mania de achar ter sorte por simplesmente ter nascido e sentir o que sinto.

Deserdado pelos amigos da infância, o meu afeto foi transferido para a fauna, flora e seres que buscam mais do que meras aventuras no existir. A poesia me fez observar melhor a existência de tudo; questionar sem medos; cidadão crítico; pensante e realizador. Meu livro de poesias chegou nas bibliotecas públicas:

DSC05464

Acredito fielmente que somos todxs guerreirxs. O que nos diferencia são as nossas lutas.

Poesias são gotas de luzes capazes de lavar até a alma da gente! A única coisa mais potente são banhos em cachoeiras desertas.

 

Diego Rbor

Maria Isabel

“Maria Isabel vive longe daqui… E lá, nem a internet a alcançou ainda.
Nos comunicamos por memórias e através de cartas.
Sim, por cartas e lembranças.
Há trinta e cinco anos enviamos cartas uma pra outra!
Há trinta e cinco anos eu não a vejo, minha melhor amiga desde criança… Continue lendo “Maria Isabel”

Fera Bela

Porque eu amo os seres vivos!

A adolescência é uma fase de muitas descobertas, e a do sexo sem dúvidas é uma das mais especiais. Tem transa que é inesquecível. Logo em seguida me veio a descoberta da maconha no meu paraíso. Tem trago que é revelador. Meio que suavizou todas as descobertas posteriores. Continue lendo “Fera Bela”

Lua Naná

Dez horas da manhã e este é o meu primeiro trago
A memória trouxe lembrança da Naná
Do jeito q ela bolava o béc
da roda
E da Lua no Sol fotografando tudo que era lindo
e ainda é
e sempre será
Hoje elas são mães… Mães que eu adoraria ter
Mas sabe,
Sou um irmão, por hora distraído
Sentindo que acordou de um sonho no meio da festa. Continue lendo “Lua Naná”

Loquaz Introvertido

Meu tempo é algo precioso. Esta certeza me proporciona apenas mergulhos profundos. Eu não aceito perder tempo com coisas rasas, ou me perder por multiversos rés…  Continue lendo “Loquaz Introvertido”