Doutorado Amor

Casas grudadas
Vizinhos distantes
A bondade é rara
Vale diamante


Não fosse a poesia
Nem sei quem eu seria
Certamente estaria
Longe de mim
Despedaçando alegria
Trancado n’algum armário
Atrás de salário, caindo
Em conto de vigário

Não fosse a poesia
Eu nem conheceria
O amor e o poder
De transmutar a dor;
É o que há de melhor
E pior em mim
Cortesia, maresia, anestesia
Minha noite e dia

A poesia salvou honestamente
Porque acendeu simplesmente
À Luz

Faz encontrar beleza em quem sou
Esta é a função de ser poeta:

Doutorado amor.

_
Diego Rbor

Fotografado na Praia Preta por Vanila Lua, 2014


Um comentário em “Doutorado Amor

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s