enTenda

Cimento difamado de baixo valor
Renda desumana cemitério de tronco

Empreendimento prendedor:
Na frente felicidade, atrás horror

Tenda de publicidade estupenda
Vende apartamento sobre plantas
preservadas pelo solo Guarany

Cadê as árvores que haviam aqui?
Colonizadores invadiram o mato;

Cadê os bichos que haviam aqui?
Patriarcado devorou e aos risos arrotou;

Na cara dos ressacados emergentes
Inquietos em filas com seus carnês…

Vários mil reais de entrada num imóvel
Só rico pode?! … Rico que pensa que é
Paga pela Tenda de concreto,
Móveis arrojados inúteis e pertences tal qual!
Paga caro pra sonhar [Pobres ricos!]

Minha casa, minha vida;  minha espera tão sofrida
Guardiã de futuros inúmeros condomínio$
Aluguéi$ infiéis, vizinhos invisíveis
Síndicos ludibriados por se acharem reis do cercadinho
Poluindo ouvidos, ares, nascentes…

Tenda matadora pôs ao chão quatrocentas
400 parentes das 4.000 vidas centenárias
Frutíferas com suas formigas feras
Aranhas ‘despercebidas’ em suas teias
Os roedores, os ninhos, vários passarinhos…

Não bastou tirar nosso ouro, querem o nosso barro?

Se a Tenda sabe construir torres

Nós, originários, sabemos construir vulcões.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s