Segredo

Já tive vergonha de dizer que sou da favela
Já tive vergonha de me aceitar e respeitar como gay
Tive vergonha de dizer o quanto sentia fome
Tive vergonha de afirmar que pra religião eu caguei

Vergonha do meu vocabulário
e da minha voz estranha pra caralho

Senti vergonha até da minha vergonha
e de escrever cartas de amor para quem amo

Já tive vergonha dos meus antepassados
De minha história semi analfabeta
Já senti vergonha do pouco que tive
e vergonha por tentar ousar sonhar

…Depois de aaanos dando liberdade pra minha vergonha,
resolvi puxar o seu tapete!
Uma sociedade que apenas lucrou com a minha insegurança,
não merece meu pior como banquete!!

Orgulho eu nunca tive, honestamente
E a vergonha eu matei com vontade

Já tive, já tive e não tenho mais
Nem vergonha na cara
Nem vergonha no cu.

(Diego Rbor)

.
.
A ARTE LIBERTA! ® 2019 Todos os direitos reservados © diego rbor

9 comentários em “Segredo

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s