Exército Particular

Acordei as 4 da manhã, ouvindo gritos que ecoavam da rua de cima. Gritos de pranto e apavoro. Abri a janela na tentativa de enxergar, e de longe observei uma moto. Em cima dela duas pessoas, assaltando um batalhador no ponto de ônibus no primeiro horário do itinerário. O senhor gritou que não possuía nada no bolso além da carteira com documentos, um celular velho e o bilhete único. E aí os bandidos pegaram tudo, inclusive a corrente e o relógio. Tudo durou nem 5 minutos. No fim o tiozinho saiu correndo mas tropeçou e caiu no chão. Ali ficou sem se levantar por algum tempo. Vai ver se fingiu de morto pra não morrer ainda mais. Fez certo. Errado mesmo fui eu, que vi tudo a menos de 1 KM e não tive coragem de fazer nada a não ser cair, chorar e rezar.

Na rua de baixo, a menos de 2 minutos a pé, consta uma delegacia de polícia. Mas isto não é tarefa pra eles se meterem, afinal só neste ano ocorreram outros 8 assaltos semelhantes a esse no mesmo bat local! A tropa é grande! Deu sono e medo em geral.

E a quebrada tá doida, desiludida, vendo novela e enchendo a barriga… na esperança de algum Chapolin Bolsonaro mudar esta situação.

Chora comigo, povão…

 

Diego Rbor ® 2018 Todos os direitos reservados © A ARTE LIBERTA!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s