Fera Bela

Porque eu amo os seres vivos!

A adolescência é uma fase de muitas descobertas, e a do sexo sem dúvidas é uma das mais especiais. Tem transa que é inesquecível. Logo em seguida me veio a descoberta da maconha no meu paraíso. Tem trago que é revelador. Meio que suavizou todas as descobertas posteriores. A brisa me ajudou a controlar alguns chocs que a vida me deu e obtive a responsa de ser a ovelha negra por causa de um verde.
Minha primeira namorada fumava comigo e com todo mundo;
A segunda, quando descolou que eu dava uns pega, perguntou em alto e bom tom: “ou Eu, ou a maconha!?” e nunca mais eu a vi.
Tive algumas namoradas; todas foram incríveis comigo e eu tenho ternura por cada uma delas, torço e quero o bem, quero que elas sejam muito mais felizes do que quando foram comigo, afinal nada é por acaso e tudo pode ser melhor.

Tanto que um dia matei uma curiosidade que eu tinha: transar com um homem que eu gostava e que gostava de mim. Foi o máximo! Na época uma amiga me perguntou se eu preferia homem ou mulher, e respondi que eu prefiro quem tiver comigo atualmente; Eu me apaixono primeiro pelos olhos e depois pelo resto. O olhar, por mais sexy que possa ser, não tem sexo e ainda me vê gozando, acho isso lindo…

Foi aí que eu assumi o posto de ser a primeira ovelha pink da família Rbor; e imagino quantas críticas fizeram nas minhas costas ao meu respeito, não só família, mas os parentes e amigos da família, e amigos d amigos e etc. Quantas vozes e imaginações caretas se enrolaram ao falar sobre mim, que escrevo mais do que calo, eu não ligo mais e nem quero saber. Estou repleto de amor e isto é o que importa para o mundo que eu acredito e ajudo a libertar. Suportei agressões severas e me tornei esta fera bela.

Existem barras que só eu posso levantar, com a ajuda de D(eu)S e de todos os anjos que acredito. Hoje não sou de procrastinar, sou de resolver o mais rápido possível porque eu gosto de dar e receber serenidade. E não fugir das barras que tive que aguentar foi bom, afinal me tornei mais forte e resistente com o passar do tempo, até chegar nestes trinta anos de gírias, sendo essa ovelha sagaz, que se coloriu para poder viver mais e feliz.

Um beijo no coração de quem já se perdeu mas deseja se encontrar. É possível e é um prazer IMENSO.

Diego Rbor ® 2018 Todos os direitos reservados © A ARTE LIBERTA!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s