Marginal Dutra

Vendo abraços. Penso que tenho o beijo mais caro do mercado. Vejo coisas gratuitas, uma carona por exemplo, e prontamente critico; mesmo sentindo o meu rabo sujo, infiel, amassando bancos que me transportam à labuta todas as seis a.m. não para aprender, ma$ receber.
Meu sexo é pago com esse salário lixo fixo, mendigo, meras moedas que sobram do meu patrão. (Ele diz para eu ter paciência se eu quiser o seu lugar).
Meu amor é uma pena de mim mesmo por ser um burro contente pulando os dias sem saltar na vida!
Só me toco pra gozar e depois que gozo ainda não me toco.
Ócio… Vício…
O alarme vai tocar em meia hora e lá vou eu de novo, emergente, fingir que vivo.

(Texto feito para todas aquelas pessoas que acham normal pagar uma tarifa alta num transporte público baixo!)

 

Diego Rbor

A ARTE LIBERTA! ® 2018 Todos os direitos reservados © diego rbor

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s