Povoado

Feliz aquele com tempo e disposição pra dá um rolê na favela..
A pé
Saldando os velhos sábios
Bambas pretxs
As rainhas q dispensam coroas..
Vendo os menó empinar pipa
Olhando para o céu como se o inferno não existisse
Por isso não pago pau pros bairro boy..
bem menos para os pseudo ricos
Ali soa inverno!
Gosto da minha comunidade simplesmente porque ela me dá a qualidade de respirar
E é linda..
Mesmo suja
Mesmo traficada
Mesmo ludibriada
Sem muito carinho humano ela..
Ela precisa de amor
E eu sei amar essa favela.

(Diego Rbor)

 

A ARTE LIBERTA! ® 2018 Todos os direitos reservados © diego rbor

4 comentários em “Povoado

      1. Obrigada Diego ,estou tão feliz que você me incluiu em sua poesia viu!

        Você sabe que eu ti admiro muito o seu jeito de ser e a tua liberdade de mostrar a realidade,você é um passarinho vivo e que não ti falta palavras nunca pra descrever todas as histórias inspiradoras em tua vida.

        Falando do meu jeito baianês:

        Ô menino depois quero vê isso aí viu!
        Por que tô chique de mais,se adiante que março tá chegando é o mês que faço aniversário.

        Mega beijosss 🙂

        Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s