o poema é o título (1)

♣ pus uma prateleira de ponta a ponta
na beira da janela longa
sobre ela, plantas, variadas
contentado por (ter a consciência de) que são importantes
té mais que eu
Amo-as! sem sequer saber o nome de cada espécie
elas brilham neste lar!
tornou-o verdejante
ando até mais falante
eu respiro nelas;

o VENTO as balança
a CHUVA alcança
o CHEIRO lança…
eu sinto mais vida
ao viver com as plantas
Quando felizes, florescem
Quando tristes, murcham
sem alarde, diferente dos humanos, as plantas
não morrem de sentimentalidades.

(diego rbor)

 

 A ARTE LIBERTA! ® 2018 Todos os direitos reservados © diego rbor

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s