Mundo de Oz

Diziam parentes que você era um ser desajustado para esta sociedade conservadora.
Ao passar os fins de semana e várias das minhas férias ao teu lado, pude provar que é o contrário: a sociedade que está super desajustada pra viver seres puros como você.
A primeira vez que fui pra São Vicente, foi contigo e tia Ivone. Várias lembranças boas marcam a tua existência no mundo e em meu coração: quando você alugou um barco onde remamos as minhas primeiras léguas marinhas e tiramos muitas fotos, mas eu falhei na hora de colocar o rolo do filme e nenhuma imagem foi registrada; ou quando tatuava pessoas e eu admirava, vislumbrado com aquele talento todo, tendo você como uma referência visual. Lembro quando defendeu a tia de uns caiçaras machistas valentes; depois defendeu a família contra aqueles inquilinos perturbadores, ali eu conheci um super herói de verdade. E quando você sorria pra tia se eu dizia alguma bobagem infantil. (…) Observava a sua postura e me idealizava nela, na sua coragem e no seu jeito reservado e tão amoroso e pacífico com as crianças. O gosto das pizzas que nós comemos juntos e vocês me deixava sempre escolher o sabor, saboreio apuradamente no paladar da minha memória. Várias flexões que exerço diariamente remetem vocês.
Eu adorava o teu sorriso! E amo o sorriso de minha tia!

Só me arrependo de ter procrastinado tanto o nosso próximo encontro. Hoje você partiu e me deixou uma saudade apertada; e com ela a constatação do quanto a sociedade está desajustada pra viver seres tão puros, reservados e inteligentes como você.
Quero viver,
E elevar a sua existência e de sua arte pro maior número de gente que eu puder, para que todos saibam que os super heróis são reais, mas diferente dos desenhos, são de carne e osso e tempo. Porém também são imortais, porque deixam obras atemporais. O papel. As tintas. Cada olhar. Cada som… Tudo brilhará.

Obrigado e perdão por todas as vezes que abafei de dizer o quanto amei cada segundo ao teu lado e da tia Ivone. Agora vou ajudar a cuidar dela e ela de mim. Cuide de nós, tio!
Que as minhas lágrimas reguem a tua luz nos céus, meu artista favorito.

(Para tio Oscar)

 

Diego Rbor

sem groselha picuinha A ARTE LIBERTA! ® 2017 Todos os direitos reservados ©

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s