Fogarel

Chegou fumando com um Dom Casmurro em baixo do braço. Pediu licença, depois do café, tirou uns rascunhos do meio e leu calmamente os versos, seus contos particulares, pondo fogo em meu coração. Incendiou o meu quarto com suas mais ardentes palavras. Não pude conter a chama! No calor, a cama quebrou, até o Crime do Padre Amaro molhou; O Cortiço e a Marginalidade e Delinquência Juvenil. Nenhuma antologia escapuliu! Gozado; esse mesmo fogo é o que dizem acabar com o meu Brasil….

diego rbor A ARTE LIBERTA! ® 2016-2018 Todos os direitos reservados ©

5 comentários em “Fogarel

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s